“Confirmando a tendência de tornar-se rapidamente uma das provas mais prestigiadas do calendário, a Strade Bianche 2016 teve emoção do inicio ao fim. E por falar em fim, basta dizer que ela foi definida entre Fabian Cancellara, Peter Sagan, Zdenek Stybar e Gianluca Brambilla nos últimos 200 metros para explicar o tamanho da emoção que permeou esta competição.

Com sua terceira vitória na Strade Bianche, Cancellara entra definitivamente na história da prova, já que os organizadores prometeram batizar um dos setores de terra da competição com seu nome caso ele subisse no lugar mais alto do pódio.

Resultado final
1 Fabian Cancellara (Swi) Trek Factory Racing 4:39:35
2 Zdenek Stybar (Cze) Etixx – Quick-Step
3 Gianluca Brambilla (Ita) Etixx – Quick-Step 0:00:04
4 Peter Sagan (Svk) Tinkoff-Saxo 0:00:13
5 Petr Vakoc (Cze) Etixx – Quick-Step 0:00:34
6 Greg Van Avermaet (Bel) BMC Racing Team 0:00:37
7 Diego Ulissi (Ita) Lampre-Merida 0:00:41
8 Tiesj Benoot (Bel) Lotto Soudal
9 Lars Petter Nordhaug (Nor) Team Sky
10 Alejandro Valverde (Spa) Movistar Team 0:00:50″

“Últimos momentos

No começo da prova, uma fuga formou-se e rapidamente ganhou vantagem sobre o pelotão. Porém, a chuva e o vento trataram de minar as forças dos escapadas, que acabaram capturados depois de 106 km dos 176 km totais percorridos. Com o forte ritmo e as condições duras da estrada, o grupo dos líderes já estava todo fragmentando no momento da captura. Aproveitando-se da situação, mais uma fuga tomou a frente quando o último escapado foi trazido de volta. Nesta segunda leva de escapados estavam Gianluca Brambilla (Etixx – QuickStep), Andriy Grivko (Astana), Brent Bookwalter (BMC), Maxime Monfort (Lotto Soudal) e Salvatore Puccio (Team Sky).

Assim como o primeiro grupo que tentou a sorte, este também acabou sucumbindo ao forte ritmo do pelotão. Desta fuga, apenas Gianluca Brambilla resistiu ao passo imposto por seus perseguidores. Todavia, a 20 km da meta, Peter Sagan atacou para capturar o solitário italiano que seguia a sua frente.

Aproveitando-se do movimento, Fabian Cancelara e Zdenek Stybar, companheiro de equipe de Brambila, aceleram para formar um seleto grupo de 4 favoritos que seguiu liderando a corrida. Para auxiliar seu companheiro e vencedor da prova em 2015, Brambila lançou uma série de acelerações para forçar a perseguição de Sagan e Cancellara.

A 5 km da chegada, o italiano conseguiu firmar-se na frente e seguiu mantendo um forte ritmo rumo a dura subida final. Atrás dele, Sagan e Cancellara colaboravam para tentar trazer o escapado de volta, situação que persistiu até cerca de 500m da chegada, já dentro da última e dura subida final – uma rampa com mais de 18% de inclinação. Neste momento, Cancellara lançou uma forte aceleração que imediatamente quebrou Peter Sagan. Com Stybar e sua roda, o suíço acelerou “a morte”, tomando o cuidado de posicionar-se por dentro na última curva para evitar ser ultrapassado. Mostrando uma força impressionante, ele teve potência o suficiente para impedir qualquer tentativa de ultrapassagem de Stybar.”

Noticia in, www.pedal.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *